Canon EF 200mm f/2L IS USM

A lente mais f*da do vlog do zack

Julho/2014 – A EF 200mm f/2L IS USM é a prime telephoto branca de maior abertura da Canon. Se em objetivas normais o f/2 já é motivo de comemoração entre os fotógrafos de pouca luz e o povo do “efeito bokeh”, digamos uma desejável 35mm f/2 ou uma sexy 135mm f/2, numa 200mm ele é simplesmente pornográfico! São ø10cm de abertura máxima em dois quilos e meio de vidro, com dezessete elementos em doze grupos, números dignos de um projeto zoom. Mas aqui estão numa fixa da mais alta classe, com desempenho óptico e resultados absolutamente impecáveis, que me fazem pensar em vender todo o restante do kit para subir em outras lentes deste nível, como: 300mm f/2.8, 400mm f/2.8, 500mm f/4, 600mm f/4… (english)

Canon EF 200mm f/2 L IS USM prime lens

Canon EF 200mm f/2L IS USM; abertura de ø10cm para a especificação exótica da linha profissional.

Esta belezinha chegou no vlog do zack em 2011 depois de muuuita discussão entre eu e eu mesmo sobre qual lente telephoto prime comprar. A 300mm f/2.8 L II IS USM é longa demais para o que eu faço (paisagens e alguns retratos) e a 200mm f/2 com teleconversor Extender EF 1.4X vira uma 280mm f/2.8 semelhante (apesar de perder qualidade de imagem). A EF 200mm f/1.8L USM na época estava disponível no mercado de usadas mas não tem estabilizador, e a Canon não oferece mais serviço nas assistências. E os 200mm f/2.8 da EF 70-200mm f/2.8L IS II USM nunca realmente me agradaram; a vinheta é alta e eu preciso de um quadro perfeito para paisagens.

Canon EF 200mm f/2 L IS USM prime lens

Canon EF 50mm f/1.8 II ao lado da Canon EF 200mm f/2L IS USM: mal dá para acreditar que sirvam no mesmo mount.

Então tomei coragem, fiz umas contas bizarras considerando o tempo que o investimento voltaria pro meu bolso (ainda faltam alguns trabalhos para ela se pagar mesmo depois de três anos) e corri atrás. Encomendei pela internet na falecida Calumet Photographic de Los Angeles, comprei a passagem e fui buscar pessoalmente. Fotograficamente foi um dos dias mais felizes da vida, e acho que todos os dias seguintes que usei esta lente também foram. E agora vocês acompanham os resultados e minhas impressões da melhor short-telephoto branca que a Canon produz.

A caixa original da EF 200mm f/2L IS USM; notem que eu economizei no hotel pra comprar a lente. :-D

A caixa original da EF 200mm f/2L IS USM; notem que eu economizei no hotel pra comprar a lente. :-D

CONSTRUÇÃO

Em 2540g a EF 200mm f/2L IS USM é a lente mais pesada que tenho no kit. Pode até soar como muito, mas na verdade ela é a segunda lente de uma “nova geração” (a partir de 2008) com tecnologias a favor da leveza, como vidros sem grafite e peças de magnésio. Por isto ela é quase meio quilo mais leve que a anterior EF 200mm f/1.8L USM apesar de ter ganhado o estabilizador. De qualquer maneira é possível segurá-la nas mãos ao longo de todo o dia ou carregá-la nos ombros com a alça própria. Ela é pesada demais para ser carregada pela câmera e a Canon recomenda sempre carregar pela lente, para não danificar o mount.

Canon EF 200mm f/2L IS USM prime lens

Canon EF 200mm f/2L IS USM: de longe a maior e mais cara objetiva que eu tenho no kit.

Canon EF 200mm f/2 L IS USM prime lens

As telephoto prime brancas da Canon tem sua própria alça para carregar; o peso danificaria o mount EF da câmera.

Já os 20.8cm de comprimento não são muito diferentes da zoom EF 70-200mm f/2.8L II IS USM (19.8cm). Mas com 12.7cm de espessura ela é bem mais gordinha. A especificação f/2 nos 200mm exige no mínimo 10cm de abertura máxima, por isto os primeiros elementos são enormes. Ela vai afunilando até o mount EF e tudo é feito de metal: os anéis, o colar de tripé (não removível) e o tubo externo. Eu gostaria de dizer que ela é “melhor construída” que outras lentes L, mas não é. São todas idênticas e perfeitas, aqui apenas numa escala muito, muito maior.


Canon EF 200mm f/2 L IS USM 70-200mm f/2.8 lens

Canon EF 200mm f/2L IS USM e Canon EF 70-200mm f/2.8L II IS USM: o topo de linha da Canon em zoom e prime.

Canon EF 200mm f/2 L IS USM 70-200mm f/2.8

Um stop a mais de luminosidade na prime faz toda a diferença no design, porém não no comprimento.

Canon EF 200mm f/2 L IS USM 70-200mm f/2.8

Quem acha a zoom grande pode ter uma ideia do tamanho da prime 200mm f/2…

Dentro são 17 elementos em 12 grupos e não lembro de ter visto uma prime com tanto vidro. Dois UD e um fluorite eliminam qualquer sinal de chromatic aberration e garantem resolução impecável de ponta a ponta do quadro. A abertura tem 8 lâminas redondas para um bokeh cremoso mesmo abaixo do f/2. E o estabilizador é o único da linha Canon com 5 stops de correção, indispensável na hora de fotografar sem tripé. Filtros do tipo drop-in (ø52mm) vão atrás e também é a primeira vez que vemos este mecanismo por aqui, compartilhados por outras telephoto prime.

Canon EF 200mm f/2 L IS USM prime lens

O projeto é tão grande que podemos facilmente ver o lado de dentro do equipamento; elemento frontal parece uma janela!

Canon EF 200mm f/2 L IS USM prime lens

Tudo é enorme, inclusive as lâminas do diafragma, note como a abertura continua circular mesmo fechada.

Canon EF 200mm f/2 L IS USM prime lens

Filtros vão atrás, do tipo drop-in de ø52mm. Basta tirar o estojo para…

Canon EF 200mm f/2 L IS USM prime lens gelatin holder

Revelar o holder de gelatina. Outros modelos (como polarizador) são vendidos a parte.

A janela de distância é generosa e tem marcações de profundidade de campo em f/16 e f/32, compensação do infinito (dependendo da temperatura de lente), e distâncias em pés e metros. O foco mínimo 1.9m é novidade (antes era 2.5m na EF 200mm f/1.8L USM) e ajuda a trabalhar em espaços pequenos, como estúdios. O colar para tripé não é removível mas trava em cada 45º; teoricamente o pé não pode ser removido, mas já vi outros fotógrafos tirarem pelos parafusos. O modelo da lente está gravado numa placa de alumínio, que não descola como algumas Nikon AF-S.


Canon EF 200mm f/2 L IS USM prime lens

A janela de distância é generosa e com marcações em pés e em metros.

Canon EF 200mm f/2 L IS USM prime lens

O colar da alça e do tripé não é removível…

Canon EF 200mm f/2 L IS USM prime lens

Mas já ví alguns fotógrafos tirando os parafusos para soltar o pé.

Canon EF 200mm f/2 L IS USM prime lens

Com espaço de sobra a Canon coloca até uma placa de alumínio com o modelo da lente.

Na caixa a Canon inclui a maleta 200, o hood ET-120B e o lens cap E-145B. A maleta é especial para carregar exclusivamente a 200mm f/2L e abraça perfeitamente a lente, com velcro e colchões; tem até uma chave para travar a tampa, bacana para transportar dentro do avião (ela cabe como carry on item). O hood é feito de fibra de carbono e adiciona mais umas 5” pra lente. Cuide muito bem dele: sozinho custa mais de US$500! E infelizmente não há um lens cap tradicional da Canon, eles te dão a peça antiga de couro que prende no hood reverso. Os modelos mais novos, como EF 300mm f/2.8L II IS USM tem um cap menor, de nylon, na minha opinião bem mais prático.

Canon ET 120B hood

O hood de fibra de carbono é do tamanho de uma lixeira pequena, e custa uma fortuna.

Canon ET 120B hood

Ele é preso por uma rosca que faz pressão contra o corpo de metal da lente.

Canon EF 200mm f/2 L IS USM prime lens EOS M

EF 200mm f/2L IS USM com hood + EOS M.

Canon EF 200mm f/2 L IS USM prime lens EOS M

Ele tem de ser invertido para guardar na maleta, mas durante a operação cobre os principais botões.

Canon EF 200mm f/2 L IS USM prime lens

O lens cap cobre todo o hood antes de guardar.

Canon EF 200mm f/2 L IS USM prime lens

O modelo é específico para esta lente, feito de couro. O design não é dos melhores mas protege, sem dúvidas.

Canon EF 200mm f/2 L IS USM prime lens case

E tudo cabe justinho no diminuto Lens Case 200.

Canon EF 200mm f/2 L IS USM prime lens case

Uma alça de velcro segura a lente no lugar durante o transporte.

Canon case 200

O Lens Case 200 tem o design antigo. As novas telephoto prime brancas “II” tem a maleta nova, mais moderna.

OPERAÇÃO

As telephoto prime brancas de grande abertura da Canon tem controles tão simples quanto as outras lentes normais. Anel de foco manual, botões de liga/desliga do estabilizador e foco, limitadores… Mas dois recursos especiais são exclusivos da linha: o focus preset e os stop buttons. Há ainda um terceiro recurso nas novas telephoto “II”, o power focus para vídeos, que permite a programação de 2 pontos focais  na memória para transições suaves, que a 200mm f/2L não tem.

Canon EF 200mm f/2 L IS USM prime lens

Os controles do estabilizador são bem diretos e fáceis de usar.

Canon EF 200mm f/2 L IS USM prime lens

Assim como os botões do foco automático, idênticos a outras lentes.

No focus preset você consegue gravar uma memória de distância de foco e usá-la imediatamente a qualquer momento. É útil por exemplo em desfiles de moda quando você sabe exatamente a distância que as modelos estarão no final da passarela; ou em esportes quando você sabe onde estará o sujeito em determinado momento. Basta colocar a alavanca do Focus Preset em ON e apertar SET na distância que quiser; e girar o anel dentado para voltar naquela distância. O foco voltará imediatamente para lá, sem interferência da câmera e/ou da posição do sujeito.


Canon EF 200mm f/2 L IS USM prime lens

“Focus Preset” é uma das funções exclusivas das lentes grandes; serve para gravar uma distância de foco na memória e…

Canon EF 200mm f/2 L IS USM prime lens

Girar esta roda dentada para retomar a posição gravada.

Já os stop buttons desligam o sistema de foco automático enquanto estão apertados. É útil em esportes com rede (volley, tênis) quando a câmera travou no jogadores e você não quer que ela trave de volta na rede. Basta segurar o botão e o AF não funcionará. “Ah, mas é a mesma coisa que soltar o botão AF-ON na câmera!” Sim, mas como estas telephoto são longas, as vezes é mais confortável controlar isto com a outra mão lá na frente, quando ela está apoiando a objetiva.

Canon EF 200mm f/2 L IS USM prime lens

São quatro botões de controle do sistema AF que podem ser programados na máquina.

O resto é bem fácil. O foco mínimo de 1.9m é ideal para trabalhar com mínima profundidade de campo e garantir o desfoque no fundo. Há como limitar o AF para 3.5m-infinito quando sabemos que nada estará tão próximo, então ele travará mais rápido assim. Ela ainda aceita os teleconversores Extender EF 1.4X (280mm f/2.8) e Extender EF 2X (400mm f/4), ambos com foco automático phase e estabilizador ativados; com perda na qualidade de imagem. Eu acho a 200mm f/2 a mais flexível neste sentido porque se tornará uma 280mm f/2.8 ou uma 400mm f/4. Qualquer outra telephoto branca prime será mais escura com os Extender.

Canon EF 200mm f/2 L IS USM Extender 2X EOS M

A lente aceita os teleconversores até o 2X que multiplicam a distância focal e a abertura máxima.

Um único destaque negativo fica para o estabilizador, que é o mais barulhento que já usei. São dois modos clássicos: 1) para corrigir os dois eixos e 2) para corrigir somente o eixo perpendicular ao movimento (panning). Mas como são cinco stops de correção e o movimento é longo para isto, ele faz um barulho bem alto quando começa a operar. Tanto que a Canon teve de soltar uma artigo explicando que isto é normal. Em 200mm e cinco stops de correção ele teoricamente garantirá imagens nítidas em 1/5s. Ele também detecta automaticamente o tripé e compensa o movimento do espelho em obturadores mais lentos. Funciona e impressiona.

COMPARADA A EF 70-200mm f/2.8L IS II USM

Canon EF 70-200mm f/2.8L II IS USM zoom lens

Canon EF 70-200mm f/2.8L II IS USM: uma favorita do mercado profissional, com distância focal variável.

A única lente próxima da EF 200mm f/2L IS USM no lineup da Canon é a zoom EF 70-200mm f/2.8L IS II USM. Por que não a prime EF 200mm f/2.8L II USM? Porque ela não tem o estabilizador e, er… não é branca. A zoom é muito mais flexível e fácil de trabalhar porque, evidente, desce até os 70mm, os 85mm, os 135mm… E em 1.49kg ela é 1 quilo inteiro mais leve! Além de aceitar filtros de ø77mm na frente, ter o hood mais fácil de usar, custar menos da metade do preço (cof, cof, US$3500 a menos)… Mas falei que a prime é f/2? Em algumas situações o dobro de luz significa o dobro de velocidade no obturador, e pode significar conseguir ou não a foto.

Canon EF 200mm f/2 L IS USM 70-200mm f/2.8 lens

O dobro de vidro para o dobro de luz: faz toda a diferença fotografar esportes em 1/500 e 1/1000. :-0

Sobre qualidade de imagem, os donos da zoom podem soltar os rojões. Não, não há grande diferença entre os arquivos da prime e da zoom. A EF 70-200mmm f/2.8L IS II USM é de longe um dos projetos com maior performance do mercado e isto fica aparente em comparação a esta prime telephoto grande. Os níveis de CA lateral das duas é virtualmente idêntico (minúsculo) e a resolução é alta nas aberturas máximas (f/2 e f/2.8) A maior diferença porém está no vignetting, que é muito menor na prime e o motivo de eu preferi-la em fotografia de paisagens. A profundidade de campo também é bem diferente, mas raramente vejo como argumento em prol da prime; ou você compra pelo dobro de luz e vinheta menor, ou viva feliz com a zoom.

QUALIDADE DE IMAGEM

“Rota” com a EOS 5D Mark II em f/8 1/125 ISO100.

“Rota” com a EOS 5D Mark II em f/8 1/125 ISO100.

O zack no momento desta foto…

O zack no momento da foto…

Acho que eu levantei da cadeira e fui dar uns pulos de “WOW!” enquanto editava as fotos deste review umas cincos vezes. Wow, wow, wow, wow, wow… Parece que as fotos a seguir são mundanas, fáceis de fazer, qualquer lente faria. E são. Mas a parte que mais impressiona é o nível de correção/ajustes que eu tive de fazer para as fotos ficarem com esta aparência. Mínimo! Enquanto em algumas imagens eu passo uns cinco minutos no Adobe Camera Raw tentando 1) reproduzir o que eu vi na realidade e/ou 2) deixar a foto sedutora, convidativa, saturada, nos arquivos da EF 200mm f/2L IS USM eu mal precisei compensar alguns % de contraste e saturação. E só. É impressionante e coloca esta como a melhor lente que já vimos no blog do zack.


“Vulcão” com a EOS 5D Mark II em f/8 1/250 ISO100.

“Vulcão” com a EOS 5D Mark II em f/8 1/250 ISO100.

Mesmo em f/2 a saturação e contraste das imagens são tão altos que as cores saltam na tela. E a comprovação da ciência de cor da Canon por trás das melhores imagens. Não, elas não são fiéis a realidade: os amarelos são amarelos demais; os vermelhos são fortes demais; as sombras são azuis (!?)… Mas as fotos ficam simplesmente fodas! Vocês conseguem ver em arquivos da EOS 60D uma qualidade que lembra o full frame: cores incríveis e os pretos realmente pretos, sem correção… E em arquivos da 5D Mark II uma qualidade que lembra o médio formato: nitidez impecável nos detalhes, mistura perfeita de cores. É outro nível que nunca vimos numa objetiva.

“Llhamas” com a EOS 5D Mark II em f/2 1/4000 ISO 100; vinheta acentuada na abertura máxima.

“Llhamas” com a EOS 5D Mark II em f/2 1/4000 ISO 100; vinheta acentuada na abertura máxima.

Crop 100%, detalhes sofrem com distorção atmosférica.

Crop 100%, detalhes sofrem com distorção atmosférica.

“Llama” com a EOS 5D Mark II em f/2 1/8000 ISO 100; contraste é perfeito em qualquer situação.

“Llama” com a EOS 5D Mark II em f/2 1/8000 ISO 100; contraste é perfeito em qualquer situação.

Crop 100%, nitidez impecável.

Crop 100%, nitidez impecável.

“Bike” com a EOS 60D em f/2 1/8000 ISO100; qualidade impecável no APS-C.

“Bike” com a EOS 60D em f/2 1/8000 ISO100; qualidade impecável no APS-C.

Crop 100%, resolução impressionante.

Crop 100%, resolução impressionante.

“Santa Mônica” com a EOS 60D em f/2.8 1/8000 ISO 100.

“Santa Mônica” com a EOS 60D em f/2.8 1/8000 ISO 100.

Crop 100%, notem os detalhes nas correntes.

Crop 100%, notem os detalhes nas correntes.

“Americana” com a EOS 60D em f/2.8 1/8000 ISO100.

“Americana” com a EOS 60D em f/2.8 1/8000 ISO100.

Crop 100%, a nitidez é tão alta que gera moiré… na 60D!

Crop 100%, a nitidez é tão alta que gera moiré… na 60D!

A ausência de qualquer imperfeição óptica também assusta. Não, não precisamos de correção via software. CA lateral? Não vi. CA longitudinal, cadê? Perda de resolução nas bordas totalmente aberta? Não. É aquele velho papo de “esta lente faz parecer que as outras estão com defeito”, o que sinceramente não é um argumento muito gostoso de ouvir. Afinal, as outras lentes estão com defeito mesmo? Porque elas não podem ser perfeitas assim? Devo vender tudo e só comprar as telephoto prime brancas? Este raciocínio está me parecendo cada vez mais convidativo…

“Rescue” com a EOS 60D em f/2.8 1/6000 ISO100.

“Rescue” com a EOS 60D em f/2.8 1/6000 ISO100.

Crop 100%, absoluta ausência de CA lateral.

Crop 100%, absoluta ausência de CA lateral.

“Swim/surf” com a EOS 60D em f/2.8 1/750 ISO100.

“Swim/surf” com a EOS 60D em f/2.8 1/750 ISO100.

Crop 100%, o nível de nitdez… da 60D!

Crop 100%, o nível de nitdez… da 60D!

“Sunfest” com a EOS 60D em f/4 1/8000 ISO100; resistência a flaring.

“Sunfest” com a EOS 60D em f/4 1/8000 ISO100; resistência a flaring.

Crop 100%, contraste impecável numa exposição dificílima.

Crop 100%, contraste impecável numa exposição dificílima.

Talvez a única “imperfeição” que você encontrará nas imagens da EF 200mm f/2L IS USM está nos limites do telephoto, por causa da distorção atmosférica. Fotografar de longe coloca muito ar entre você e o sujeito, e em dias quentes o ar fica agitado, tirando a nitidez das fotos. Os detalhes se transformam em borrões impressionistas e exigem horários específicos para os melhores registros (antes do calor, de manhã; ou no final da tarde). Enfim é a única ressalva que eu posso fazer. Dependendo da imagem, cuidado, isto pode destruir a qualidade das impressões.

“SF” com a EOS 60D em f/10 1/350 ISO200; distorção atmosférica distorce as linhas do quadro.

“SF” com a EOS 60D em f/10 1/350 ISO200; distorção atmosférica distorce as linhas do quadro.

Crop 100%, bye bye print…

Crop 100%, bye bye print…

“Avalanche” com a EOS 60D em f/10 1/1000 ISO100; paisagens gélidas não sofrem com este problema.

“Avalanche” com a EOS 60D em f/10 1/1000 ISO100; paisagens gélidas não sofrem com este problema.

Crop 100%, limite do sensor bayer.

Crop 100%, limite do sensor bayer.

Zack momentos antes deste click… :-)

Zack momentos antes do click “Avalanche”… :-)

“Bolivia” com a EOS 5D Mark II em f/8 1/320 ISO100; reprodução de cores fantástica da Canon.

“Bolivia” com a EOS 5D Mark II em f/8 1/320 ISO100; reprodução de cores fantástica da Canon.

“Llama sozinha” com a EOS 5D Mark II em f/8 1/320 ISO100.

“Llama sozinha” com a EOS 5D Mark II em f/8 1/320 ISO100.

“Campo” com a EOS 5D Mark II em f/11 1/160 ISO100, compressão de perspectiva com a distância da composição.

“Campo” com a EOS 5D Mark II em f/11 1/160 ISO100, compressão de perspectiva com a distância da composição.

“Laguna” com a EOS 5D Mark II em f/10 1/125 ISO100.

“Laguna” com a EOS 5D Mark II em f/10 1/125 ISO100.

VEREDICTO

Infelizmente pensada para o mercado profissional, a Canon EF 200mm f/2L IS USM entrega tudo o que podemos pedir de uma lente perfeita: construção de ponta, operação fácil, resultados absolutamente impecáveis. Mas para isto eles tiveram de jogar o preço lá pra cima (US$5999), o que tira ela das mãos da maioria dos fotógrafos. O que é uma pena: criativamente ela pode ser muito bem explorada e não acho que só o mercado profissional deveria ter acesso a tal qualidade. O fato é: 200mm f/2 exige muito vidro, e vidro é caro e pesado. Projeto muito pesado exige construção de ponta, que também é cara. Aí já viu… Quem sabe um dia a Sigma pense em fazer uma 200mm f/2. Até lá, junte o seu dinheiro e adote uma Canon EF prime telephoto. Boas fotos!