Canon EF 50mm f/1.4 USM

O melhor negócio em Canon EF 50mm

Fevereiro/2014 – Uma lente fixa 50mm de grande abertura com certeza está na lista de desejos da maioria dos fotógrafos entusiastas que tem uma DSLR. Popularizadas nos anos 80 por fazerem parte dos kits padrão, as cinquenta milímetros viraram referência do “look” com profundidade de campo curta em grandes aberturas e campo de visão próximo do olhar humano, agradável para retratos. Hoje, seja pela boa relação custo/benefício destes modelos, ou qualidade de imagem que só as primes entregam, uma hora você também terá uma cinquentinha no kit. (english)

Canon EF 50mm f/1.4 USM

E os fabricantes, ah, os fabricantes, estarão mais que felizes em oferecer opções para todos os tipos de fotógrafos, necessidades e bolsos. Só na Canon atualmente são quatro modelos EF, três deles com especificações muito parecidas: a básica f/1.8II, a intermediária f/1.4 USM, e a topo de linha f/1.2L USM, de excelente construção. Todas entregam quantidade de luz pelo menos 7X maior (a partir do f/1.8) que as zoom de kit (por exemplo 18-55mm f/5.6 em 50mm) e valem a pena para fotografias com: baixa luminosidade, sem flash; efeitos de profundidade de campo curta em abertura máxima; e retratos de meio corpo para cima, aplicação típica desta distância.

Canon EF 50mm lens

A Canon EF 50mm f/1.4 USM demorou para entrar no meu kit porque eu já tenho a EF 50mm f/1.8II, minha primeira prime qual aprendi a usar este tipo de abertura; e porque eu também já tenho a EF 50mm f/1.2L, indispensável para o meu trabalho de gravações semanais por sua construção sólida, aparentemente inquebrável. Sem planos para colocar uma outra lente “inferior” na mochila (caminho comum para quem já tem as séries L), a versão intermediária caiu no esquecimento e não tive grandes oportunidades de pegá-la emprestada para o review do zack.

Canon EF 50mm f/1.4 USM lens

Mas isto mudou numa viagem recente para os Estados Unidos e encontrei a f/1.4 USM aos montes nas lojas Best Buy, por um preço irrecusável: US$319 no modelo atual, com embalagem preta e branca, e a nova tampa do tipo pinça. Aproveitei e comprei uma, sem pensar duas vezes. Enfim, vamos ver o que eu achei da irmã do meio “esquecida” da família Canon; o que ela faz bem, o que ela faz mal; compará-la com lentes parecidas, discutir qualidade de imagem e construção; e concluir se a EF 50mm f/1.4 USM vale ou não vale para colocar também no seu kit. Boa leitura!



 CONSTRUÇÃO E OPERAÇÃO

Canon EF 50mm f/1.4 USM lens

Lançada em 1993 para o sistema EF, a 50mm f/1.4 USM é baseada no mesmo design óptico da FD 50mm f/1.4 de 1971 (7 elementos em 6 grupos), mas renovada com sistema eletrônico de foco por motor ultra-sônico e abertura eletrônica controlada pela câmera. É dos projetos mais antigos ainda em fabricação nesta marca e mostra um gap enorme da Canon entre as gerações de equipamentos, que ficam décadas no lineup sem ver melhorias. Outras japonesas já trouxeram suas objetivas para a modernidade, como: Nikon AF-S Nikkor 50mm f/1.4G, projeto de 2008, com 8 elementos; e a nova (e absurda) Sigma 50mm f/1.4 DG HSM, com 13 (!) elementos de vidros especiais, ambas melhores construídas e com desempenho óptico superior.

Canon EF 50mm f/1.4 USM lens

Com 290gr e 5cm de comprimento, a EF 50mm f/1.4 USM é o que podemos chamar de lente compacta. Montada nos corpos full frame ela equilibra muito bem e o conjunto fica agradável nas mãos, com boa pegada na câmera com a direita e na lente com a esquerda. Nos corpos crop o pacote fica ainda menor e é possível fotografar com uma mão só, sem se preocupar com peso para frente ou segurar a lente com a outra mão. Infelizmente o hood não está incluído na caixa e não sei dizer se influência na usabilidade. E o modelo que eu comprei, com caixa preta e cinza, inclui a nova tampa frontal do tipo “pinça”, mais fácil de tirar do corpo que a antiga.

Canon EF 50mm f/1.4 USM lens

Essa leveza se deve ao corpo ser de plástico, tanto no tubo externo quanto no tubo interno. E embora o mount seja de metal e passe segurança em inúmeras montagens/desmontagens, infelizmente não posso afirmar o mesmo do resto da construção. Vejam, sem querer ser chato, mas os ajustes balançam demais. Basta segurar a lente nas mãos e estender o tubo interno até o foco mínimo que parece a peça estar solta! Fazia tempo que eu não pegava uma objetiva nas mãos que passasse a impressão de “produto de segunda linha” e é o que a EF 50mm f/1.4 USM passa; lembrando que temos a f/1.2L USM no topo da cadeia e a EF 50mm f/1.8 II lá embaixo. Ou seja, não me surpreende a Canon estar entregando de fato um produto, nem tão bom nem tão ruim.

Canon EF 50mm f/1.4 USM lens

E o mesmo raciocínio foi usado na implementação do motor USM. No lugar do “micro motor” da f/1.8 II pindaíba, você ganha um “micro motor USM”, que é ultra-sônico e menos barulhento. Mas não é tão rápido (nem totalmente  silencioso) quanto o “ring USM” da f/1.2L USM. Pelo menos ele oferece o full time manual e sem mexer no botão AF/MF (único do corpo) você pode compensar qualquer erro do sistema automático através do anel de foco manual, que é grande e confortável, mas com feedback ruim de plástico com plástico. Não espere grande precisão já que ele tem um jogo bem grande entre girar o anel e girar o tubo interno.

Canon EF 50mm lens

Enfim os filtros na frente são de 58mm e típicos das 50mm tradicionais. Não giram enquanto o sistema foca e permitem o uso de polarizadores, por exemplo. O diafragma é de oito lâminas e totalmente eletrônico, fecha até f/22; mas não fica redondo e entrega um bokeh inferior a f/1.2L. Resumindo, fica evidente que a Canon escuta a sua equipe de marketing passo-a-passo na hora de desenvolver os produtos. “Teremos três objetivas no mesmo segmento? Então a primeira não será melhor que a segunda, e a segunda não será melhor que a terceira.” Uma pena já que este modelo é reconhecido pela boa qualidade de imagem e não custa barato.



COMPARADA A CANON EF 50mm f/1.8 II

Canon EF 50mm f/1.4 f/1.8 Lens

A mais você leva na f/1.4 USM o mount de metal, mais suave e durável para montar/desmontar da camera. Ganha janelinha de distância e anel de foco maior. O micro-motor USM, mais rápido e menos barulhento, com modo manual o tempo todo (não precisa mexer o botão). E 1/3 de stop a mais de luminosidade, que é imperceptível na profundidade de campo, com sistema de oito lâminas no diafragma (contra cinco na f/1.8 II); o bokeh é mais suave na f/1.4 USM. Mas você perde no preço (mais que o dobro) e no tamanho. Na minha opinião o investimento vale a pena na 50mm f/1.4 USM para quem ainda não tem nenhuma prime 50mm, logo de cara.

COMPARADA A EF 50mm f/1.2L USM

Canon EF 50mm f/1.4 USM f/1.2 L lens

O topo de linha da Canon tem construção absolutamente impecável, praticamente a melhor 50mm AF fabricada hoje. É todinha de metal com extremidades de plástico, weather sealing total (quando um filtro estiver na frente), motor ring USM extremamente rápido e silencioso, além do diafragma de oito lâminas redondas com bokeh cremoso em qualquer abertura. Mas custa cerca de cinco vezes mais que a EF 50mm f/1.4 USM e não entrega muito mais em performance. Minha sugestão da f/1.2L USM é para quem trabalha diariamente com o equipamento e não pode “cuidar” na hora de guardar e ficar trocando as lentes o dia todo. A série L foi feita para isso: trabalho.

COMPARADA A EF 85mm F/1.8 USM

Canon EF 85mm f/1.8 USM Lens

Embora vocês já estejam carecas de saber que a decisão na compra de uma objetiva vem da distância focal que você precisa, muitos tem dúvidas entre a 50mm f/1.4 USM e a 85mm f/1.8 USM; e não se comparam. A 85mm tem sistema AF interno e totalmente quieto, ambos USM. A 85mm tem bokeh acentuado por razões óbvias de distância focal, então fará fotos totalmente diferentes. E a 85mm é maior, mais pesada e delicada, apesar de bem construída. É o caso de escolher qual você precisa primeiro, e nunca “entre as duas”.

COMPARAÇÃO MALDITA COM A AF-S NIKKOR 50mm f/1.4G

Canon EF 50mm f/1.4 USM Nikon AF-S f/1.4G

Renovada em 2008 é o primeiro projeto novo Nikon 50mm f/1.4 desde a década de 70. Também é todinha de plástico, mas muito mais robusta e com weather sealing. E o kit ainda inclui hood e bolsa para transporte, pelo mesmo preço da Canon. Como produto vale muito mais que a lente EF e a qualidade de imagem é ligeiramente superior, notável principalmente nas aberturas próximas da máxima. O sistema de foco das duas é muito bom, mas a Nikon não faz tanto barulho e o anel manual é muito melhor de pegada. A Nikkor é um trunfo deste fabricante; na Canon só temos isto pagando pela f/1.2L USM, que custa muito mais. Já passou da hora de atualizar a EF 50mm f/1.4.


QUALIDADE DE IMAGEM

“Bokeh” com a Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/1.4 1/1000 ISO160. A qualidade do desfoque é muito boa, com tons suaves e alto contraste.

“Bokeh” com a Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/1.4 1/1000 ISO160. A qualidade do desfoque é muito boa, com tons suaves e alto contraste.

Depois do mimimi sobre a construção, só resta a qualidade de imagem como argumento a favor da EF 50mm f/1.4 USM. E o projeto de 1971 se mostra valente até hoje, sem dúvidas. É lógico que totalmente aberta em f/1.4 esta objetiva mostra a idade e características típicas das grandes aberturas: blooming, CA de todos os tipos, astigmatismo e perda de resolução nas bordas. Estes problemas são exagerados fora do plano focal e a lente exige uma focagem precisa para evitá-los.

“Cidade” com a Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/1.4 1s ISO100; vignetting acentuado em abertura máxima.

“Cidade” com a Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/1.4 1s ISO100; vignetting acentuado em abertura máxima.

Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/2 1.6s ISO100; vinheta vai sumindo com diafragmas menores, nitidez aumenta.

Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/2 1.6s ISO100; vinheta vai sumindo com diafragmas menores, nitidez aumenta.

Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/2.8 3.2s ISO100; bordas escuras somem já em f/2.8; resolução praticamente máxima no quadro todo.

Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/2.8 3.2s ISO100; bordas escuras somem já em f/2.8; resolução praticamente máxima no quadro todo.

Crop 100% em f/1.4; problemas com CA axial e bolhas de luz.

Crop 100% em f/1.4; problemas com CA axial e bolhas de luz.

Crop 100% em f/2; 90% dos problemas resolvidos e nitidez aumenta drasticamente.

Crop 100% em f/2; 90% dos problemas resolvidos e nitidez aumenta drasticamente.

Crop 100% em f/2.8; qualidade máxima para qualquer situação.

Crop 100% em f/2.8; qualidade máxima para qualquer situação.

Crop 100% em f/1.4; astigmatismo atrapalha os detalhes em abertura máxima.

Crop 100% em f/1.4; astigmatismo atrapalha os detalhes em abertura máxima.

Crop 100% em f/2; problema ainda aparece fechando um stop.

Crop 100% em f/2; problema ainda aparece fechando um stop.

Crop 100% em f/2.8; resolução máxima somente em aberturas conservadoras.

Crop 100% em f/2.8; resolução máxima somente em aberturas conservadoras.

Vignetting, que é aquele escurecimento das bordas causado tanto pelo desenho físico da lente quanto por elementos ópticos que fazem sombra uns nos outros, é pronunciado em abertura máxima e na verdade causa personalidade as imagens, trazendo o destaque para o que estiver no centro do quadro. O efeito criativo é bacana para fotos intimistas ou detalhes, e pode ser resolvido logo a partir de f/2.8, que usará somente o “miolo bom” da objetiva sem o problema.

“Hotel” com a Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/1.4 1/320 ISO1250. Abertura f/1.4 permite obturadores rápidos em pouca luz, mas vinheta acentua somente o centro da imagem.

“Hotel” com a Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/1.4 1/320 ISO1250. Abertura f/1.4 permite obturadores rápidos em pouca luz.

“Sinal” com a Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/1.4 1/160 ISO2000. Resistência a flare e contraste acentuado pela vinheta em cenas noturnas.

“Sinal” com a Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/1.4 1/160 ISO2000. Resistência a flare e contraste acentuado pela vinheta em cenas noturnas.

Crop 100%; boa resolução no centro em f/1.4.

Crop 100%; boa resolução no centro em f/1.4.

“Bokeh II” com a Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/1.4 1/2000 ISO160. Desaparecer com o fundo é fácil em aberturas como a f/1.4; qualidade de imagem é boa no centro.

“Bokeh II” com a Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/1.4 1/2000 ISO160. Desaparecer com o fundo é fácil em aberturas como a f/1.4.

“Bonecos” com a Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/1.4 1/800 ISO160. Em situações normais, sem excesso de luz e contraste, os resultados em abertura máxima são quase perfeitos.

“Bonecos” com a Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/1.4 1/800 ISO160. Em situações sem excesso de luz, os resultados são quase perfeitos.

Crop 100%; boa resolução e profundidade de campo curtíssima em f/1.4.

Crop 100%; boa resolução e profundidade de campo curtíssima em f/1.4.

“Container” com a Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/1.4 1/3200 ISO160.

“Container” com a Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/1.4 1/3200 ISO160.

Crop 100%; boa resolução em f/1.4 próximo do centro.

Crop 100%; boa resolução em f/1.4 próximo do centro.

“Fusca” com a Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/1.4 1/2000 ISO160. O contraste e as cores são excelentes em abertura máxima, apesar dos problemas típicos de lentes de grande abertura (aberrações cromáticas).

“Fusca” com a Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/1.4 1/2000 ISO160. O contraste e as cores são excelentes em abertura máxima.

Crop 100%; reprodução de detalhes é boa no centro apesar do CA.

Crop 100%; reprodução de detalhes é boa no centro apesar do CA.

“Vespa” com a Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/1.4 1/640 ISO160. Abertura máxima com vignetting e pouca profundidade de campo garante personalidade as fotos.

“Vespa” com a Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/1.4 1/640 ISO160. Abertura máxima com vignetting e baixa profundidade de campo.

Crop 100%; CA em áreas de contraste.

Crop 100%; CA em áreas de contraste.

A abertura f/2 já melhora consideravelmente a resolução no quadro todo e as bolhas ao redor de pontos de luz somem quase por completo. Na minha opinião é o melhor stop com relação “quantidade de luz/qualidade de imagem” e serve como porto seguro para arquivos que serão impressos em grande formato. O f/1.4 tem problemas e é “artístico”; o f/2.8 é perfeito mas pouco luminoso. Então o f/2 é o melhor dos dois mundos sem grandes problemas ópticos.



“mini” com a Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/2 1/500 ISO160. Contraste de cores em abertura f/2.

“mini” com a Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/2 1/500 ISO160. Contraste de cores em abertura f/2.

Crop 100%; excelente nitidez próximo do centro do quadro.

Crop 100%; excelente nitidez próximo do centro do quadro.

“GOFO” com a Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/4 1/100 ISO160. Esta objetiva é padrão para o cálculo de cores da linha EF.

“GOFO” com a Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/4 1/100 ISO160. Esta objetiva é padrão para o cálculo de cores da linha EF.

“Carpinteiro” com a Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/2 1/1250 ISO160. Situações impróprias para aberturas tão grandes.

“Carpinteiro” com a Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/2 1/1250 ISO160. Situações impróprias para aberturas tão grandes.

Crop 100%; CA exacerbado por tanta luz e abertura errada para estas condições.

Crop 100%; CA exacerbado por tanta luz e abertura errada para estas condições.

“Sombra” com a Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/2.2 1/8000 ISO160. Use filtros ND para compensar a quantidade de luz em f/1.4, para fotos com pouca profundidade de campo sob o sol.

“Sombra” com a Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/2.2 1/8000 ISO160. Use filtros ND para compensar a quantidade de luz em f/1.4.

De f/2.8 em diante a nitidez já fica exemplar em toda a imagem e imbatível para as lentes zoom que não chegam aos pés deste tipo de qualidade. Absolutamente todos os detalhes da cena serão reproduzidos até nos sensores digitais mais exigentes das câmeras crop, e nas bordas do full a maioria dos problemas desaparecem. f/4 em diante só serve como controle da quantidade de luz e profundidade de campo, e em f/8 nós temos uma das lentes mais nítidas da linha Canon EF.

“Graffiti” com a Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/4 1/80 ISO160. Reprodução de cores é destaque nesta objetiva.

“Graffiti” com a Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/4 1/80 ISO160. Reprodução de cores é destaque nesta objetiva.

“Trilho” com a Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/8 1/500 ISO160. Abertura otimizada para máxima resolução e profundidade de campo ideal para rua.

“Trilho” com a Canon EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/8 1/500 ISO160. Abertura otimizada para máxima resolução.

Crop 100%; a nitidez é tão alta que causa moiré no sensor da 5D Mark II.

Crop 100%; a nitidez é tão alta que causa moiré no sensor da 5D Mark II.

COMPARADA A EF 50mm F/1.8II

A cinquentinha f/1.8 II infelizmente mostra o design simplificado e inferior quando comparada a uma versão maior, mais cara, como a f/1.4 USM. A nitidez totalmente aberta das duas é diferente e precisamos fechar mais a f/1.8 para chegar nos mesmos patamares da f/1.4, o que não é de se estranhar. Mas principalmente o look geral das imagens envolvendo cores e contraste é muito superior na irmã do meio, o bokeh é melhor; então minha recomendação é para investir logo de cara na f/1.4 USM deixando a f/1.8II somente para restrições severas de orçamento.

“Caixas” com a EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.8 II em f/2 1/15 ISO100; bokeh com linhas repetitivas.

“Caixas” com a EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.8 II em f/2 1/15 ISO100; bokeh com linhas repetitivas.

EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/2 1/15 ISO100; bokeh mais suave.

EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM em f/2 1/15 ISO100; bokeh mais suave.

Crop 100%; esquerda, bokeh da 50mm f/1.8II; direita, bokeh da 50mm f/1.4 USM.

Crop 100%; esquerda, bokeh da 50mm f/1.8II; direita, bokeh da 50mm f/1.4 USM.

COMPARADA A EF 50mm F/1.2L USM

A grande f/1.2L USM nunca foi reconhecida pela qualidade de imagem e isto fica claro em comparação a f/1.4. As imagens das duas são virtualmente idênticas e às vezes vemos astigmatismo muito mais pronunciado na versão maior, dependendo do ângulo de entrada de luz na lente. De f/2 em diante fica muito difícil colocar a série L como “superior” então minha recomendação fica para a construção de metal e bokeh ainda mais suave.

EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.2L USM em f/2 1/15 ISO100; bokeh ainda mais suave!

EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.2L USM em f/2 1/15 ISO100; bokeh ainda mais suave!

Crop 100%; esquerda, bokeh da 50mm f/1.4 USM; direita, bokeh da 50mm f/1.2L USM.

Crop 100%; esquerda, bokeh da 50mm f/1.4 USM; direita, bokeh da 50mm f/1.2L USM.

“Planta” com a EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.8II; desfoque duro e vignetting acentuado em f/2.

“Planta” com a EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.8II; desfoque duro e vignetting acentuado em f/2.

EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM; desfoque melhora e vignetting reduz.

EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.4 USM; desfoque melhora e vignetting reduz.

EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.2L USM; desfoque macio e sem vignetting já em f/2.

EOS 5D Mark II + EF 50mm f/1.2L USM; desfoque macio e sem vignetting já em f/2.

Detalhe de highlights com diafragmas de: 5 lâminas (f/1.8II), 8 lâminas (f/1.4 USM) e 8 lâminas redondas (f/1.2L USM).

Detalhe de highlights com diafragmas de: 5 lâminas (f/1.8II), 8 lâminas (f/1.4 USM) e 8 lâminas redondas (f/1.2L USM).

VEREDICTO

Demorou mas a EF 50mm f/1.4 USM chegou ao meu kit, e para ficar. A construção sobreviveu a uma viagem tensa (chuva e tira-põe na mochila) e as fotos valeram a pena. O sistema AF foi confiável na EOS 5D Mark II usando o ponto central, e rápido; fiz fotos de dentro do taxi que seriam perdidas por exemplo na Sigma 35mm f/1.4 DG HSM. No geral esta é a melhor 50mm Canon considerando preço e imagens: não é tão simples e de bokeh “duro” quanto a f/1.8 II, nem tão sofisticada e cara quanto a f/1.2L USM. Vale a pena para quem está sério sobre fotografia e monta um kit intermediário de alta qualidade, preocupado com boas imagens e o prazer em fotografar. Boas fotos!