Canon EF 50mm f/1.8 STM

Not plastic, just fantastic

Junho/2015 – Levou 25 anos mas finalmente está aqui! A Canon atualizou a prime mais popular do mundo com a EF 50mm f/1.8 STM. O diafragma é novo e tem sete lâminas circulares para teoricamente um bokeh mais suave fora da abertura máxima. Os grupos foram otimizados para diminuir a distância mínima de foco, além de receber coatings Super Spectra para maior contraste. Estabilizador? Não. Weather sealing? Nem pensar. A novidade é o stepping motor para foco automático silencioso, no lugar do micro motor DC barulhento de antes. O mount voltou a ser de metal, e mais resistente a várias montagens/desmontagens. E o resto da construção está melhor, com design mais sóbrio e limpo. Tudo pelo mesmo preço de antes, tacada de gênio da Canon para continuar no topo. Vale a pena colocá-la no kit? Vamos descobrir! Boa leitura. (english)



CONSTRUÇÃO E OPERAÇÃO

Canon EF 50mm f/1.8 STM

Como ela vem substituir uma objetiva que provavelmente todo mundo conhece, inevitável os reviews compararem extensivamente as duas; e não fugirei a regra. Elas são o mínimo que você pode comprar da Canon para tirar fotos e o preço de US$130 é ridículo para um lançamento. Ok, a chinesa Yongnuo tem uma 50mm f/1.8 “fajuta” de US$62, mas vocês confiam? Eu não sei. Em 162g a versão STM ficou 32g mais pesada que a “plastic fantastic” e a sensação de brinquedo ficou para trás. Cosmeticamente está moderna com um plástico emborrachado, suave nas mãos, e um tubo externo sem rebarbas e vários painéis como a antiga. O mount voltou a ser metal como a primeira versão de 1987 e complementa melhor as câmeras mais robustas como 5D e 7D pra cima.

Canon EF 50mm f/1.8 STM

Do lado de dentro a novidade é o motor de foco STM. Enquanto a Canon vende como uma grande coisa, praticamente todas objetivas mirrorless usam um “brushless stepping motor” parecido. Ele é mais barato de fabricar que os ultra-sônicos e tem a vantagem de ser suave, feito para o EOS Movie. Mas tem um problema relativamente grave para quem tira fotos: ele não é tão rápido quanto os USM. Do foco infinito ao foco mínimo leva quase dois segundos, e é definitivamente mais “pensado” que a f/1.8 II, que eu julgava “esperta”. Parte da decisão de compra pode vir daqui: para quem usa o AI SERVO no modo movie, este modelo é para você. Mas eu queria uma USM, como o upgrade da EF 35mm f/2 IS USM. Já pensaram uma 50mm f/1.8 IS USM? O_o

Canon EF 50mm f/1.8 STM

Na frente o anel de foco manual ficou mais “saudável” e está emborrachado. O movimento é suave por causa do STM, já que a operação é fly by wire. Quando você gira ele diz para o motor mover o grupo de foco num movimento linear, quase totalmente silencioso. Mas longe de ser perfeito, há um enorme lag entre o toque no anel e a resposta do motor. E como não há uma janela de distância, às vezes nem dá pra saber se está acontecendo alguma coisa; só vendo se o tubo interno está expandindo ou não. Pelo menos ele suporta o full time manual e pode controlar o foco mesmo com a chave em “MF”, o mínimo de se esperar hoje em dia. Nos testes com a Sony A7 II + Metabones Adapter IV, que é beeem devagar pra focar com as Canon EF, o anel manual “ligado” o tempo todo ajudou muito as coisas. Você só sente falta quando precisa.

Canon EF 50mm f/1.8 STM

Na frente os filtros ficaram menores em ø49mm, ruim para quem já estava “investido” nos ø52mm da versão anterior; ou seja, terão de comprar um anel step down. E todo o conjunto interno mexe para frente e para trás durante a focagem, mas sem girar o anel da frente; como a versão antiga e bom para polarizadores. Há até um trilho para hood (não incluído na caixa), que estava faltando na outra. No geral o upgrade é bacana, o projeto amadureceu, e nem dá pra pensar em recomendar a antiga pra quem está começando agora, ainda mais considerando o preço que é o mesmo. Mas e quem tem a versão f/1.8 II, vale o upgrade? Vamos ver nas fotos.



QUALIDADE DE IMAGEM

“Reflexo” em f/13 1/60 ISO160.

“Reflexo” em f/13 1/60 ISO160.

* Todas as fotos com a Sony A7II + Metabones Smart Adapter IV. All raw at Patreon.
 

Com o mesmo projeto de seis elementos em 5 grupos baseado numa fórmula duplo Gauss, aqui está o grande tiro no pé: perderam a oportunidade de fazer algum totalmente novo, tipicamente Canon. Enquanto a Nikon colocou uma peça asférica na f/1.8G, para resolução perfeita de ponta a ponta do quadro, e a Sony tem a fenomenal FE 55mm f/18 ZA em parceria com a Zeiss, as lentes EF tem um apelo “popularesco” na linha básica. Eles prometem que o arranjo dos grupos foi “otimizado”, com distância mínima de foco menor em 35cm (antes era 45cm), coatings Super Spectra em todos (para aumentar o contraste), e diafragma circular de sete lâminas. E como eu nunca vi grandes problemas na f/1.8 II, a história se repete e melhorou: tudo está mais nítido na abertura máxima, e a resolução assusta logo em f/2.8. Por US$130, é obrigatória no kit.

“Sunbathe” em f/13 1/100 ISO100.

“Sunbathe” em f/13 1/100 ISO100.

As melhorias são visíveis no projeto mais acertado com coating Super Spectra. Você consegue ver que os detalhes são mais nítidos na abertura máxima e o blooming foi resolvido no quadro todo. O miolo que já era bom, agora está melhor; acho que até na frente da f/1.2L. Não há bolhas coloridas se você acertar o foco, que a L sofre pra caramba. E nas bordas fica mais claro a vantagem da nova f/1.8 STM. Enquanto a f/1.8 II apagava os detalhes por aberração esférica, na f/1.8 STM isso é menos visível. Então não precisamos mais nos preocupar tanto para aumentar a resolução nitidez. Dá para trabalhar tranquilamente em qualquer abertura, se você acertar precisamente o foco.

“Times Square” em f/1.8 1/250 ISO100.

“Times Square” em f/1.8 1/250 ISO100.

Crop 100%, O_o performance nunca vista antes em f/1.8! O_o

Crop 100%, O_o performance nunca vista antes em f/1.8! O_o

“Amen” em f/1.8 1/250 ISO800.

“Amen” em f/1.8 1/250 ISO800.

Crop 100%, não, espera, esta é uma objetiva de US$130 totalmente aberta? O_o

Crop 100%, não, espera, esta é uma objetiva de US$130 totalmente aberta? O_o

“TKTS” em f/1.8 1/250 ISO400.

“TKTS” em f/1.8 1/250 ISO400.

Crop 100%, fe-no-me-nal, o blooming está muito melhor controlado do que antes. O_o

Crop 100%, fe-no-me-nal, o blooming está muito melhor controlado do que antes. O_o

“Girls night out” em f/1.8 1/60 ISO100.

“Girls night out” em f/1.8 1/60 ISO100.

Crop 100%, se o sujeito não estiver nítido, é porque você errou no foco. :-P

Crop 100%, se o sujeito não estiver nítido, é porque você errou no foco. :-P

Sim, o astigmatismo ainda está lá e pontos de luz ao redor do quadro não serão pontos em f/1.8; falta elementos para corrigir isso. Mas vocês sabem a minha opinião: usem a objetiva direito! Precisa de resolução nas bordas? Feche pelo menos para f/2.8. A Canon está muito mais próxima da AF-S f/1.8G da Nikon do que nunca, e aquele foi uma das minhas melhores lentes testadas na D800E. Mas a EF custa US$100 a menos e tem um elemento a menos; ou seja, a mãe do EOS realmente melhorou a performance óptica da objetiva mais popular da linha. É também no f/2.8 que a luz parece perfeitamente focada para retratos com detalhes finos de cabelos, textura da pele, trama de tecidos e grades, causando moiré na Sony A7 II e outras câmeras.

“Detour” em f/2.8 1/200 ISO100.

“Detour” em f/2.8 1/200 ISO100.

Crop 100%, f/1.8 a esquerda e f/2.8 a direita, melhora significativa na performance.

Crop 100%, f/1.8 a esquerda e f/2.8 a direita, melhora significativa na performance.

“rag & bone” em f/2.8 1/800 ISO400.

“rag & bone” em f/2.8 1/800 ISO400.

Crop 100%, f/2.8 já é suficiente para gerar moiré na A7II, que tem filtro low pass!

Crop 100%, f/2.8 já é suficiente para gerar moiré na A7II, que tem filtro low pass!

“Piggy_dog” em f/4 1/320 ISO400.

“Piggy_dog” em f/4 1/320 ISO400.

Crop 100%, nitidez impecável típica das primes.

Crop 100%, nitidez impecável típica das primes.

“SPRINKLERS” em f/4 1/200 ISO400, leve distorção geométrica em linhas retas.

“SPRINKLERS” em f/4 1/200 ISO400, leve distorção geométrica em linhas retas.

Crop 100%, controle quase perfeito de aberrações cromáticas laterais.

Crop 100%, controle quase perfeito de aberrações cromáticas laterais.

“Dinning out” em f/5.6 1/80 1/400; contraste impecável típico da Canon.

“Dinning out” em f/5.6 1/80 1/400; contraste impecável típico da Canon.

“Big City of Dreams” em f/4 1/1600 ISO400; a Canon é sempre muito foda para cores!

“Big City of Dreams” em f/4 1/1600 ISO400; a Canon é sempre muito foda para cores!

“Battery” em f/2.8 1/100 ISO10000.

“Battery” em f/2.8 1/100 ISO10000.

Crop 100%, f/2.8 + alta performance no ISO para fotos noturnas ultra nítidas.

Crop 100%, f/2.8 + alta performance no ISO para fotos noturnas nítidas.

E do f/4 em diante nós temos virtualmente a mesma performance da f/1.8 II, que já era perfeita: resolução de sobra para qualquer sensor que eu conheço, de ponta a ponta do quadro. São todas as folhas das árvores, todas as gramas no chão, contraste perfeito para gráficos etc. Está nos luz (sem trocadilho) a qualquer zoom de kit, aliás, qualquer zoom. E da mesma forma que o modelo antigo, não sei como a Canon fez um projeto (dois, no caso) que não sofrem de aberração cromática lateral. Sabe aquelas linhas coloridas que eu mostro em pontos de contraste e contra a luz? Não acontece nestas lentes. Na minha opinião é o melhor “recurso” óptico para fotografia de rua, como grafites, placas, pilares e qualquer sujeito urbano.

“Brooklyn Bridge” em f/13 1/80 ISO100.

“Brooklyn Bridge” em f/13 1/80 ISO100.

Crop 100%, resolução em qualquer parte do quadro.

Crop 100%, resolução em qualquer parte do quadro.

“Brooklyn Bridge II” em f/8 1/60 ISO125.

“Brooklyn Bridge II” em f/8 1/60 ISO125.

Crop 100%, performance no canto inferior esquerdo, orientação vertical.

Crop 100%, performance no canto inferior esquerdo, orientação vertical.

“Williamsburg Bridge” em f/8 1/60 ISO160.

“Williamsburg Bridge” em f/8 1/60 ISO160.

Crop 100%, contraste excelente no plano focal.

Crop 100%, contraste excelente no plano focal.

“Which way?” em f/13 1/60 ISO2500; distorção geométrica zero no eixo vertical.

“Which way?” em f/13 1/60 ISO2500; distorção geométrica zero no eixo vertical.

“Escada” em f/7.1 1/250 ISO100.

“Escada” em f/7.1 1/250 ISO100.

Crop 100%, contraste definitivamente perfeito. O_o

Crop 100%, contraste definitivamente perfeito. O_o

“Hangout” em f/8 1/80 ISO100.

“Hangout” em f/8 1/80 ISO100.

Crop 100%, arquivos para impressões gigantes no combo Sony_canon.

Crop 100%, arquivos para impressões gigantes no combo Sony_canon.

“Sunbathe II” em f/14 1/60 ISO250.

“Sunbathe II” em f/14 1/60 ISO250.

Crop 100%, mesmo em f/14 a difração ainda não começou a atrapalhar muito.

Crop 100%, mesmo em f/14 a difração ainda não começou a atrapalhar muito.

“PEKING” em f/8 1/80 ISO100.

“PEKING” em f/8 1/80 ISO100.

Crop 100%, super nitidez + resolução perfeita.

Crop 100%, super nitidez + resolução perfeita.

“Chaminé” em f/8 1/200 ISO100.

“Chaminé” em f/8 1/200 ISO100.

Crop 100%, quando eu falo de “todos os tijolinhos”.

Crop 100%, quando eu falo de “todos os tijolinhos”.

“Árvore” em f/14 1/60 ISO320.

“Árvore” em f/14 1/60 ISO320.

Crop 100%, zero CA lateral em zonas de contraste.

Crop 100%, zero CA lateral em zonas de contraste.

“PEKING II” em f/8 1/320 ISO100.

“PEKING II” em f/8 1/320 ISO100.

Crop 100%, f/8 é a abertura otimizada para reproduzir texturas.

Crop 100%, f/8 é a abertura otimizada para reproduzir texturas.

“Steel” em f/13 1/60 ISO200.

“Steel” em f/13 1/60 ISO200.

Crop 100%, graduação perfeita de tons.

Crop 100%, graduação perfeita de tons.

“Oh, skyscrapper” em f/8 1/100 ISO100.

“Oh, skyscrapper” em f/8 1/100 ISO100.

Crop 100%, moiré correndo solto nessa Sony A7II. :-D

Crop 100%, moiré correndo solto nessa Sony A7II. :-D

“Styles” em f/8 1/160 ISO100.

“Styles” em f/8 1/160 ISO100.

Crop 100%, detalhes de longe, perfeitamente reproduzidos.

Crop 100%, detalhes de longe, perfeitamente reproduzidos.

“Wall St.” em f/8 1/200 ISO100.

“Wall St.” em f/8 1/200 ISO100.

Crop 100%, impressões gigantes, só imagina…

Crop 100%, impressões gigantes, só imagina…

As duas novidades estão no foco mínimo que aumentou (ou abaixou?) de 45cm para 35mm, e o no diafragma de sete lâminas arredondadas. Embora não seja a mesma coisa de uma objetiva macro, com perda notável de resolução quando você fotografa perto demais, eu achei a qualidade bacana. Se está tão perto, já sabe que a baixa profundidade de campo será curta e a chance de alguma coisa sair em foco já é mínima; então “normal” o sujeito aparecer suave, num quadro desfocado. É uma mão na roda para quem fotografa flores e fauna no dia a dia.

“Dandy Lion?” em f/1.8, f/2.8, f/4, f/5.6, f/8 e f/14.

“Dandy Lion?” em f/1.8, f/2.8, f/4, f/5.6, f/8 e f/14.

Crop 100%, note como o sujeito vai ganhando nitidez.

Crop 100%, note como o sujeito vai ganhando nitidez.

E o bokeh está mais suave mesmo na abertura máxima. É colorido, com contraste muito mais alto que antes (de novo, agradeçam o coating Super Spectra), e sem contornos coloridos ou mais fortes. Ok, não é ultra suave como a série L quem tem um grupo de lentes só para tratar do bokeh, mas vale pelo preço e para o que vocês procuram. Retratos com fundo desfocado, entrevistas em vídeo sem participação do cenário, detalhes da decoração de festa e qualquer foto mais “íntima” que os 50mm forem adequados, funcionam melhor que a f/1.8 II.

“Flor” em f/1.8 1/640 ISO100; foco mínimo da objetiva.

“Flor” em f/1.8 1/640 ISO100; foco mínimo da objetiva.

Crop 100%, praticamente nada em foco.

Crop 100%, praticamente nada em foco.

“Flor II” em f/1.8 1/500 ISO100; é quase um close up lens embutido.

“Flor II” em f/1.8 1/500 ISO100; é quase um tubo de extensão embutido.

Crop 100%, contraste é bom dependendo do sujeito.

Crop 100%, contraste é bom dependendo do sujeito.

“Flor III” em f/4 1/800 ISO100; aparência do desfoque fora da abertura máxima.

“Flor III” em f/4 1/800 ISO100; aparência do desfoque fora da abertura máxima.

Crop 100%, diafragma novo faz uma leve diferença na suavidade.

Crop 100%, desfoque suave.

“Chopper” em f/8 1/1250 ISO100.

“Chopper” em f/8 1/1250 ISO100.

Crop 100%, A7II acertou precisamente o foco, perfeição em abertura máxima.

Crop 100%, A7II acertou precisamente o foco, perfeição em abertura máxima.

Crop 100%, mas bokeh continua “low cost” fora da distância mínima.

Crop 100%, mas bokeh continua “low cost” fora da distância mínima.

“Girl” em f/1.8 1/320 ISO400; isolamos o sujeito? :-D

“Girl” em f/1.8 1/320 ISO400; isolamos o sujeito? :-D

“Bokeh balls” em f/1.8 1/80 ISO250; e começa o filme B…

“Bokeh balls” em f/1.8 1/80 ISO250; e começa o filme B…

“TKTS II” em f/1.8 1/250 ISO800.

“TKTS II” em f/1.8 1/250 ISO800.

Crop 100%, ok,ugly bokeh. :-P

Crop 100%, ok,ugly bokeh. :-P

“Street Style” em f/8 1/200 ISO200.

“Street Style” em f/8 1/200 ISO200.

VEREDICTO

Que nos trás a principal pergunta deste artigo: vale o upgrade a versão antiga ou não? Bom… Se você usa a EF 50mm f/1.8 II todos os dias, sim, vale totalmente o upgrade. A construção é vastamente superior e os resultados ópticos são notáveis. Quem percebeu a minha indiferença sobre a f/1.8 STM no Twitter quando descobri que a fórmula das duas era igual, agora tem o veredicto: sim, a Canon melhorou bastante e não compraria uma f/1.8 II pelo mesmo preço da f/1.8 STM. Mas quem já tem a f/1.8 II e usa esporadicamente, não precisa sair correndo pelas novidades: a sua lente continua bacana, bem usada e os resultados podem ser fantásticos, e não está chovendo US$130 lá fora. Guarde o dinheiro para outra coisa. Boas fotos!